Síndrome das pernas inquietas

por | Maio 2, 2017 | Sem categoria | 3 Comentários

pernas inquietas

Introdução

Síndrome das pernas inquietas é uma condição relativamente comum e que atinge 5% da população. Trata-se da necessidade incontrolável que a pessoa tem de mover as pernas. Acredita-se que esteja ligado a queda na produção de dopamina. Tem como características:

  1. Sintomas mais frequentes a noite ou quando o paciente fica parado.
  2. Pode vir associado a formigamento ou sensação de mal estar na região entre o tornozelo e o joelho.
  3. O paciente melhora quase que completamente quando se move.
  4. 4. Pode ter crises de movimentos periódicos a noite. De dia, pode ficar movendo as pernas constantemente quando parado.

Causas:

  1. 2/3 das vezes não se encontra uma causa definida
  2. Em 1/3 das vezes pode estar associado a uma causa definida. Dentre elas:
    • Hereditariedade, no caso, ter alguém da família que desenvolveu a síndrome das pernas inquietas após os 40 anos de idade
    • Gravidez, já que mulheres grávidas costumam apresentar a síndrome, que em geral passa após o nascimento
    • Doenças crônicas, como diabetes, doenças renais, doença de Parkinson ou neuropatia periférica
    • Privação de sono
    • Uso de álcool ou cafeína
    • Tabagismo
    • Obesidade
    • Uso de algumas medicações para doenças psiquiátricas
    • Anemia
    • Processo de retirada de um sedativo.

Diagnóstico e tratamento:

O diagnóstico é clínico e é estabelecido através de entrevista e preenchimento dos critérios diagnósticos – Exames como a dosagem de ferro, ácido fólico, transferrina, saturação de ferro, e etc ajudam a estabelecer a causa e possível tratamento.

O tratamento baseia-se em tratar as causas quando presentes (anemia por exemplo). Além disso, utilizamos medicamentos que aumentam a dopamina como levodopa. A doença não tem cura mas tem controle e os sintomas podem durar anos ou a vida toda.

 

Share This
WhatsApp chat