Varizes pélvicas

por jan 9, 20150 Comentários

Definições Gerais

Varizes pélvicas são veias anômalas que ficam localizadas na pelve das mulheres próximas ao útero e bexiga. Elas acontecem com mais frequência em mulheres que tiveram duas ou mais gestações.

Quadro Clínico

Elas são uma das causas da chamada síndrome da dor pélvica crônica. Essa síndrome caracteriza-se pela sensação de dor abaixo do umbigo em peso, não cíclica que causa incapacidade funcional e que dura mais de 6 meses.

É a responsável por 10% dos atendimentos em consultas nos ambulatórios de ginecologia.

A dor pélvica crônica, porém, pode ser causada por inúmeras doenças como a endometriose, síndrome miofascial do piriforme, doença inflamatória intestinal, fibromialgia, diverticulite, doença inflamatória pélvica, etc.

Para considerar as varizes pélvicas, portanto, há a necessidade de descartar as outras doenças que causam a dor pélvica crônica. Por isso, o acompanhamento do ginecologista é fundamental.

Além dos sintomas gerais que a dor pélvica crônica apresenta, as varizes pélvicas podem acompanhar com sintomas irritativos urinários (vontade iminente de urinar, dor ao urinar) e dor na relação sexual. A dor pode piorar após um longo período em pé e pode piorar n período pré menstrual. As varizes pélvicas crônicas também podem ser a causa de recidiva precoce das varizes de pernas após uma cirurgia bem sucedida.

Diagnóstico

O diagnóstico é confirmado através do ultrassom intravaginal que pode evidenciar as varizes e pela angiotomografia ou angioressonância em que podemos avaliar as veias anômalas e o diâmetro das veias gonadais (as veias que drenam o sangue venoso da região pélvica). O exame de angiografia venosa ou flebografia geralmente se destina a ser realizado somente no momento do tratamento.

Tratamento

O tratamento das varizes pélvicas podem ser realizado clinicamente ou de maneira endovascular.

O tratamento clínico é através do uso de medicamentos venotônicos. Esse tratamento é limitado e longo.

Em casos mais avançados podemos realizar o tratamento endovascular. Nesse tratamento é utilizada a anestesia local e sedação. Realiza-se uma punção com agulha na veia femoral (na virilha 2mm) e depois se cateteriza a veia gonadal esquerda. Após os exames e confirmação das varizes pélvicas, implanta-se molas em todo o trajeto da veia gonadal. Desse modo o fluxo de sague para as varizes cessa. A melhora dos sintomas ocorre em torno de 85% dos pacientes.

 

Share This
WhatsApp chat