Estenose de carótida

por | jan 9, 2015 | 0 Comentários

Definições Gerais

Existem 4 artérias que irrigam o cérebro: duas artérias carótidas e duas artérias vertebrais. As carótidas são as mais importantes e representam 90% da circulação do cérebro. Quando há um estreitamento de uma dessas artérias chamamos de estenose de carótida.

A localização mais frequente desse estreitamento é na bifurcação da artéria carótida entre carótida externa e interna. A artéria que mais nos importa em relação a circulação cerebral é a carótida interna.

As causas da estenose são as mesmas da aterosclerose: hipertensão, idade, sexo masculino, dislipidemia (colesterol e triglicérides altos), tabagismo, diabetes.

Sintomas

Geralmente as estenose de carótidas não apresentam sintomas quando não complicados.

Os sintomas associados a essa estenose são o AVC (ou derrame), AIT (acidente vascular cerebral), cegueira temporária, tonturas, etc.

O diagnóstico dessa condição é feito através de exames de imagem: ultrassom doppler, angiotomografia ou angioressonância.

Tratamento

Existem vários fatores para considerar a cirurgia. Entre as principais consideramos operar pacientes sintomátcos com estreitamento acima de 50% e assintomáticos com estenose acima de 80%.

O tratamento pode ser feito de 3 maneiras: tratamento clínico, tratamento aberto/convencional (endarterectomia) ou endovascular.

No tratamento clínico fazemos o controle rigoroso dos fatores de risco: pressão arterial, diabetes, cessação do tabagismo, etc. Além disso associamos uso de estatinas tendo como meta o LDL abaixo de 70 e PCR ultrasensível abaixo do valor limite. Introduzimos o AAS em todos os casos quando não há alergia.

No tratamento aberto, realizamos a cirurgia com a incisão no pescoço e dissecção da artéria carótida acometida. Após a artéria é aberta e a placa de aterosclerose é retirada. A artéria então é fechada com um remendo.

No tratamento endovascular implantamos um stent dentro da artéria obstruída com acesso geralmente pela artéria femoral comum (virilha). Utilizamos filtro de proteção ou oclusor para maior segurança.

O tratamento da estenose (estreitamento) da artéria carótida pode ser realizada de duas maneiras: aberta ou endovascular. Consulte as causas e indicações sobre a doença em doenças vasculares no menu principal. A escolha do método é baseada no risco cirúrgico do paciente, se há sintomas e na anatomia da lesão. Os dois métodos são seguros e bem estabelecidos mas apresentam taxas de complicações peculiares de cada método.

Tratamento aberto

Na endarterectomia (tratamento aberto) realizamos em centro cirúrgico sob anestesia geral. O tempo do procedimento é de aproximadamente 2-3 horas no total. O paciente costuma ficar de 1-2 dias na UTI e internado de 2-4 dias.

Na cirurgia realizamos uma incisão no pescoço de aproximadamente 10cm oblíqua do lado da lesão. Realizamos a dissecção da artéria carótida interna acometida e a abrimos. Retira-se, após, toda a placa que estava estreitando a artéria e realiza-se o fechamento da mesma com um remendo.

Tratamento endovascular

No tratamento endovascular realizamos o procedimento sob anestesia local e sedação. O tempo do procedimento é em torno de 1 hora. O paciente mantém-se na UTI numa média de 1 dia e internado por 2-3 dias.

Acessamos a artéria através de um cateterismo pela femoral. a artéria carótida acometida é cateterizada por um fio guia e um cateter é posicionado perto da área estreitada. Após isso, realizamos a passagem de fios guias por dentro da lesão e  implantamos um tipo de dispositivo de proteção que pode ser um balão oclusor ou um filtro. O próximo passo é o implante de um stent que é uma malha metálica que mantém a artéria aberta.. Após dilatado o stent, todos os materiais são retirados e é realizada uma nova arteriografia para controle da posição do stent.

Como exemplo de endarterectomia (cirurgia aberta), recomendo a animação abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=fGw0oBmmuHM 

Abaixo animação para tratamento endovascular com sistema protetor cerebral de oclusão: https://www.youtube.com/watch?v=aus97RPuADQ

Share This